WAKAN TANKA

Segundo o livro Mitologia (2008), de Philip Wilkinson e Neil Philip, “Wakan Tanka” é um termo originário da cultura dos sioux (os indígenas lakotas que vivem nas grandes planícies da América do Norte) e tem como significado “Grande espírito” (2008, p. 192). Segundo o mesmo livro, “wakan” quer dizer mistério. Vejamos mais:

Uma prece típica desse povo pode ser simplesmente: “Wakan Tanka, tenha piedade de mim”. Wakan Tanka (“o grande mistério”) também é um grupo de 16 espíritos, o quatro-vezes-quatro. Esses poderes positivos incluem o Sol a Rocha, o Trovão e a Terra, que juntos controlam o mundo” (2008, p. 280)

A imagem que ilustra a seção “Wakan Tanka” do livro é uma fotografia tirada em outubro de 2018 no aeroporto de Lisboa. Trata-se de uma “esfera armilar”. Segundo Aurélio Buarque de Holanda, a esfera armilar é “um instrumento astronômico antigo, constituído de números anéis metálicos, que representam os principais círculos da esfera celeste (1986, p. 694). O site http://www.vonregium.com/o-simbolo-perene/ também nos informa que: “O artefato é composto por um conjunto de armilas (anéis, braceletes ou argolas) articuladas que se movem separadamente, acrescido por uma banda diagonal mostrando o caminho do sol nos 365 dias no ano (ou Zodíaco), forma uma representação de um cosmos reduzido”.

Curiosamente, a esfera armilar tem uma relação muito próxima com o Brasil, porque foi a forma que ilustrou a primeira bandeira do Brasil Colônia e, depois, passou, em forma adaptada e transformada, a estar representada na esfera que integra nossa bandeira. Vejam imagens extraídas do artigo Wladimir Lyra intitulado “O céu como bandeira A contribuição da Astronomia para o regime republicano”:

Dada a explicação sobre a imagem, resta esclarecer o motivo de eu tê-la escolhido para ilustrar a seção que encerra Sessenta minutos. A relação que estabeleci entre “Wakan Tanka” e a “esfera armilar” passa pela visão de que só quando temos a consciência do “Grande mistério” ou do “Grande espírito” que faz do planeta Terra parte de um todo infinitamente maior entendemos com profundidade que é nossa obrigação proteger nosso planeta, amá-lo e cuidar para que a harmonia entre os elementos que o compõem o mantenha afinado com a beleza do universo. Tempos de violência e destruição atingem diretamente a saúde de nosso planeta e interferem na harmonia de todo o cosmos.

O pedido “Wakan Tanka, tenha piedade de mim” pode traduzir o próprio pedido da Mãe Terra para que os rumos da humanidade sejam alterados, de modo a evitar a destruição de toda a beleza da qual fazemos parte, porque somos Mãe Terra também.

Vejam, no final de Sessenta minutos, as referências que consultei para falar um pouco sobre esses temas.

 

Christina Ramalho

(28/02/2021)